admin Nenhum Comentário

11 exemplos de anúncios do Facebook que realmente funcionam (e porque)

Como profissional de marketing, você já sabe que a maioria (se não todos) de seus potenciais clientes faz parte da enorme comunidade do Facebook. Há 890 milhões e pessoas que entram no Facebook todos os dias. Portanto, seja seu público alvo alunos de faculdade ou CEOs, eles provavelmente usam o Facebook e alguns deles, diariamente.

O problema é que publicar apenas no Facebook não é o suficiente para a maioria das marcas, especialmente aquelas que estão só começando. Jogar dinheiro no Facebook para levar as pessoas à sua página e mandá-las ao seu website funciona apenas se você fizer isso com inteligência.

Uma maneira de ser inteligente é criar anúncios otimizados do Facebook direcionados ao público certo. Anúncios otimizados podem ajudá-lo a usar seu orçamento de PPC com sabedoria e ver um retorno positivo em seu investimento.

Aprenda como criar anúncios bem-sucedidos do Facebook baixando esse guia passo a passo para publicidade no Facebook.

Então, como seria realmente um anúncio otimizado para Facebook? Se estiver procurando alguns bons exemplos, você veio ao lugar certo. Nesta publicação, vamos tratar dos dois formatos primordiais de anúncios no Facebook: os anúncios na coluna à direita e os anúncios no feed de notícias. Depois, vamos mostrar 8 tipos diferentes de anúncios no Facebook e incluir exemplos reais de cada um deles, junto com alguns insights em porque o anúncio é tão bem-sucedido.

Antes de chegar a esses exemplos, vamos conversar um pouco sobre os quatro componentes de um bom anúncio no Facebook (ou qualquer anúncio, na verdade), independente do seu tipo. Lembre-se de que as pessoas estão no Facebook para ficarem atualizados sobre suas vidas sociais, não necessariamente conferir seus produtos. Por isso, ter essas quatro coisas em mente é importante para qualquer anúncio do Facebook que você fizer.

4 componentes de anúncios bem-sucedidos no Facebook

1) Ele é visual

Conteúdo visual é tratado de forma mais favorável no algoritmo do Facebook. Além disso, conteúdo visual é mais envolvente no feed de notícias em constante mudança e, assim, é mais provável que chame a atenção do seu potencial cliente. 90% das informações transmitidas ao cérebro são visuais. Não importa que tipo de anúncio você crie, sua imagem precisa ser visualmente atraente e chamativa.

Confira essa publicação de blog (em inglês) para obter uma guia detalhado para tamanhos de imagem para várias unidades de anúncios no Facebook, junto com alguns tipos de publicação de conteúdo visual.

2) Ele é relevante.

A relevância é crucial para o sucesso ao usar publicidade no Facebook. Lembre-se, você está gastando dinheiro quando alguém visualiza ou clica em seu anúncio (dependendo das configurações usadas). Se estiver mostrando anúncios que não são relevantes ao seu público alvo, você está perdendo tempo e dinheiro e provavelmente não terá sucesso com nenhum tipo de publicidade.

A Facebook recentemente lançou um novo recurso na plataforma de publicidade do Facebook que classifica seus anúncios e fornece uma pontuação de relevância, similar ao Ad Rank, no Google AdWords. Quanto mais relevante a imagem do anúncio, cópia do anúncio e página de destino forem para seu público, maior será a pontuação e mais favoravelmente o Facebook tratará seus anúncios.

3) Ele inclui uma proposição de valor

Uma proposição de valor informa ao leitor o motivo pelo qual ele deveria clicar em seu anúncio e saber mais sobre seu produto. Como seu produto ou serviço se diferencia de outros? Por que ele deveria clicar no anúncio para ver seu website?

A proposição de valor deve ter credibilidade. Dizer as pessoas que você tem os melhores sanduíches do mundo não fará as pessoas visitarem a página da sua empresa, mas oferecer 20% de desconto talvez funcione. Ou, talvez adicionar prova social ajude. Algo como, “sanduíches amados por mais de 1 milhão de pessoas todos os anos, venha e experimente o seu hoje mesmo! Ganhe 20% de desconto em seu pedido com esse cupom”.

4) Ele tem um call-to-action claro.

Um anúncio bonito e relevante é ótimo, mas sem um call-to-action (CTA), a pessoa que estiver vendo poderá não saber o que fazer em seguida. Adicione um CTA como “Compre agora e economize x%”, ou “A oferta termina em breve” e acrescente um senso de urgência à pessoa que estiver vendo. Seu CTA deve incentivar as pessoas a clicarem em seu anúncio agora.

Os dois formatos primordiais para anúncios no Facebook (com exemplos)

O Facebook tem oferecido cada vez mais opções para publicidade no Facebook ao longo dos anos. Cada um dos 8 exemplos que vamos abordar podem se encaixar em uma de duas categorias: o anúncio de coluna à direita e o anúncio de feed de notícias.

A diferença principal aqui é a colocação do anúncio, além da quantidade de texto e tamanho da imagem que são permitidos. Quase todos os tipos de anúncios que tratamos podem ser usados em cada tipo de anúncio, por isso, vamos passar agora brevemente pelas diferenças nos dois formatos.

Formato 1: O anúncio da coluna à direita

Esse tipo de anúncio é o mais tradicional no Facebook. Ele aparece no lado direito do feed de notícias do usuário no Facebook. Ele foi o primeiro tipo de publicidade no Facebook e existe até hoje.

Embora os anúncios no feed de notícias tenham mais chance de obterem métricas maiores de envolvimento, devido aos seus recursos nativos de publicidade, os anúncios da coluna à direita não devem ser esquecidos. Encontramos frequentemente cliques e conversões menos caros ao usar esses anúncios. Para que um anúncio de coluna à direita seja bem-sucedido, ele precisa ser relevante, ter uma proposição de valor, um bom visual e um call to action. Vamos ver um exemplo abaixo da Club W:

Formato 2: O anúncio do feed de notícias

Um anúncio de feed de notícias aparece diretamente no feed de notícias do usuário e se parece mais com publicidade nativa. Em nossa experiência, esses anúncios têm uma taxa de envolvimento maior que os anúncios da coluna à direita, mas também podem ser mais caros. Eles também devem seguir as práticas recomendadas de publicações orgânicas do Facebook e serem envolventes e visuais.

Um anúncio da Club W no feed de notícias teria essa aparência:

facebook wine ad

Novamente, o que faz com que esse anúncio seja bom?

  • Ele é visual. A imagem é maior que no anúncio da coluna à direita, tornando-o mais atraente visualmente e chamativo que no exemplo anterior.
  • Ele é relevante. Assim como o anúncio da coluna à direita, esse anúncio é relevante para mim. (Nota: eu realmente comprei o vinho da Club W e gostei).
  • Ele inclui uma proposição de valor atraente. Eles já pensaram por mim e recomendaram vinhos para a Páscoa. Embora não haja descontos nesse anúncio, eu ainda vejo valor em seu conteúdo.
  • Ele tem um call-to-action claro. Eles me dizem para acessar seu blog e ler suas sugestões. Dessa maneira, sei exatamente o que fazer e o que esperar quando clicar.

Agora que tratamos dos dois formatos principais de anúncios, vamos examinar uma variedade maior de tipos de publicação que podem ser usados.

8 tipos de publicidade do Facebook e alguns dos melhore exemplos de anúncios no Facebook

1) O anúncio de vídeo do Facebook

Recentemente, a Facebook disse que trataria anúncios de vídeo de forma mais favorável na linha do tempo. Aproveite isso criando mais anúncios de vídeo!

Anúncios de vídeo são grandes no feed de notícias do usuário e oferecem conteúdo mais envolvente. O vídeo está se tornando cada vez mais popular entre marcas e pessoas. De fato, 50% das pessoas que visitam o Facebook diariamente assistem pelo menos um vídeo por dia e o número de publicações de vídeo por marcas aumentou 3,6X em apenas um ano. Se estiver procurando por um tipo de publicidade altamente envolvente, experimente o vídeo.

Precisa de alguma inspiração? Confira esse exemplo abaixo, além de nossa explicação de porque os anúncios de vídeo são ótimos e como sua empresa pode criá-los de forma atraente.

facebook video ad rue la la

O que faz com que esse anúncio seja tão bom?

  • Ele é visual. Embora seja um vídeo, tenho uma ideia geral do que estarei assistindo, graças a captura de tela com a qual eles começaram.
  • Ele é relevante. É relevante para mim por vários motivos. Primeiro, vi esse anúncio três semanas antes do Natal, bem quando percebi que não tinha comprado ainda nenhum presente para meus amigos e familiares. Segundo, eles destacam isso dizendo, “Você não é a única pessoa a sentir a pressão”. Gosto quando eles podem ler minha mente. Terceiro, essa é uma página em que estive anteriormente e um website do qual eu já comprei, portanto, eu confio neles e tenho chance de comprar novamente.
  • Ele inclui uma proposição de valor atraente. A empresa está mostrando muitas opções que tenho em seu site para presentes de fim de ano. A partir do vídeo, fico sabendo que essa é uma loja completa. Posso conseguir tudo que preciso aqui.
  • Ele tem um call-to-action sólido. Ao chamar sua butique de “loja de último minuto para o fim de ano”, sou incentivada a comprar agora.

Como você pode criar seu próprio anúncio de vídeo? Primeiro, compreenda as exigências de anúncios de vídeo do Facebook, incluindo tamanho e duração do vídeo. Sugerimos manter seu vídeo o mais curto possível, mesmo que o Facebook permita atualizar um vídeo muito maior. Crie um vídeo que exiba seu produto ou serviço e faça upload diretamente no gerenciador de anúncios do Facebook, seguindo essas instruções.

2) O anúncio de foto

Outro tipo de publicidade de rich media no Facebook é uma publicação de uma imagem. Esse é um dos tipos mais populares de anúncio desde que a Facebook começou a favorecer o conteúdo visual. O tamanho ideal para anúncios de feed de notícias é 1200×628 pixels, caso contrário, sua imagem será cortada. Ajuste sua imagem dependendo das necessidades do público alvo e aquilo que for mais atraente a eles.

Esse é um exemplo de anúncio de foto da NatureBox:

naturebox-1

Por que esse anúncio funciona?

  • Ele é visual. A imagem mostra exatamente o que você recebe e eles destacam também o CTA de “amostra grátis”.
  • Ele é relevante. Todos gostam de petiscos! Honestamente, a pessoa que viu esse anúncio é um fã de várias empresas de assinatura de estilo de vida, que é o que a NatureBox é.
  • Ele inclui uma boa proposição de valor: Esse anúncio é cheio de valor. Primeiro, a chamada de “avaliação grátis” é a primeira coisa que seus olhos veem ao olhar a imagem. Segundo, eles mencionam claramente os aspectos saudáveis das guloseimas em seu produto.
  • Ele tem um call-to-action claro. Eles estão pedindo para que você experimente sua amostra grátis. Não poderia ser mais fácil saber seu próximo passo.

A Starbucks usou outra abordagem em um anúncio de foto criando um anúncio com várias imagens dentro de uma foto publicada, incluindo a data e hora do evento especial que estão organizando.

starbucks facebook ad

Por que isso é bom?

  • Ele é visual. Os elementos visuais são bem feitos e aprimorados. Os tópicos são atraentes tanto para viciados em cafeína, quanto em Starbucks. O texto é curto e agradável e usa uma fonte divertida, com um fundo vermelho e contrastante, que facilita passar os olhos no texto.
  • Ele é relevante. Eu sou fã tanto do Starbucks quanto de café em geral. (De fato, provavelmente irei ao Starbucks local após terminar essa publicação).
  • Ele inclui uma proposição de valor atraente. Esse anúncio joga com o desejo humano natural de ser parte de algo grande (a maior data do Starbucks) e o medo de perder algo. Eles também começam a descrever alguns dos cafés e guloseimas que os participantes irão gostar, fazendo todos ficarem com água na boca!
  • Ele tem um call-to-action claro. Na imagem e na descrição, eles são claros sobre onde e quando. Eu sei exatamente como me envolver.

As empresas podem usar a mesma tática durante todo o ano, jogando com um feriado nacional ou grande evento local.

3) O anúncio de vários produtos

Anúncios de vários produtos permitem que os anunciantes demonstrem vários produtos com um anúncio. A pessoas podem rolar através das imagens e clicar em links individuais de cada produto. Você pode promover várias coisas, não só produtos, como diferentes publicações de blog, e-books ou webinars. Esses anúncios podem ser criados no Facebook Power Editor.

Esse é um exemplo de anúncio de vários produtos da Shutterfly, junto com imagens adicionais que são usadas no anúncio. Cada imagem tem uma oferta diferente para ter apelo a vários segmentos demográficos em um anúncio.

shutterfly

Por que esse anúncio funciona?

  • Ele é visual. Eles usam as coisas de uma maneira muito legal aqui e as imagens são visualmente atraentes. (Ter um gatinho fofo não prejudica também!)
  • Ele é relevante. A pessoa que viu isso adora tirar fotos e criar presentes sentimentais.
  • Ele inclui uma proposição de valor atraente: há um valor muito claro ao usuário, 40% de desconto em cada produto anunciado. O código e data de término da venda também estão claros na descrição do anúncio. Esse anúncio tem também um nível de valor agregado, está mostrando as várias maneiras que as pessoas podem usar o Shutterfly, de maneiras que muitos podem não conhecer.
  • Ele tem um call-to-action claro. Sei que preciso usar isso antes de 17/2 quando a oferta termina, portanto, sou incentivada a agir imediatamente.

4) O anúncio local

Anúncios locais no Facebook funcionam apenas se sua empresa tem um endereço físico para o qual você está tentando enviar tráfego real. Se você se encaixar nessa categoria, anúncios localmente direcionados do Facebook podem ser excelentes para você, pois você poderá hiperdirecionar o Facebook para suas vizinhanças.

Se sua empresa tem uma oferta ou evento em andamento em sua loja, configure alguns anúncios do Facebook para aparecer apenas às pessoas que estão próximas de sua loja. Faça com que esses anúncios sejam exibidos alguns dias antes do evento e em dispositivos móveis, enquanto ele estiver acontecendo. Você pode querer entrar em contato com algumas pessoas no dia do evento, que possam estar nas proximidades, verificando suas contas do Facebook em seus smartphones.

Veja esse exemplo de anúncio da Mizzou Campus Dining:

ScreenShot2015-03-29at2.12.59PM

Por que esse anúncio é bom?

  • Ele é visual. Essa imagem tem um apelo estudantil, uma variedade de delícias salgadas e doces e um logotipo famoso para atrair estudantes universitários famintos.
  • Ele é relevante. Esse anúncio, provavelmente, está sendo exibido apenas aos alunos no campus que estão em seu público alvo. Ele menciona também os jogos que estão em andamento e jogam com as necessidades atuais dos estudantes: lanches e sanduíches do Subway.
  • Ele inclui uma proposição de valor atraente. O mercado Mizzou está dizendo a estudantes universitários famintos (e preguiçosos) que ele têm tudo que eles precisam para o grande jogo.
  • Ele tem um call-to-action claro. Esse anúncio tem a opção de mostrar direções, facilitando muito para um estudante universitário seguir as instruções para chegar ao mercado.

5) O anúncio de oferta

Um anúncio de oferta é uma nova forma de publicidade no Facebook, onde uma empresa pode promover um desconto em um produto ou serviço que pode ser resgatado no Facebook. O benefício disso? Ele elimina uma etapa na jornada do comprador, que termina por aumentar as vendas.

O Facebook permite criar esses tipos de anúncios no Ads Manager ou Power Editor. Você pode escolher exibir esses anúncios no feed de notícias de seu público, colunas à direita, ou em seus aplicativos móveis.

O anúncio da oferta tem muitos benefícios. Primeiro, ele conduz o usuário diretamente à oferta. O usuário resgata-a diretamente no Facebook, removendo qualquer atrito adicional da necessidade de ir ao seu website para obter a oferta. Você também pode atingir qualquer tipo de público que quiser, pois todas as opções de direcionamento no Facebook são possíveis. Finalmente, você pode incluir todas as informações necessárias para o usuário decidir se eles querem isso ou não, incluindo o período de tempo que elas são utilizáveis, o número de pessoas que já resgataram as informações e o valor exato da oferta. Isso eliminará cliques não qualificados, que custam dinheiro a você.

Esse é um exemplo uma oferta da Jasper’s Market:

ScreenShot2015-03-29at12.36.32PM

Nesse exemplo, sabemos exatamente quanto vale a oferta, quando ela expira e como obtê-la.

Ele é bom, pois:

  • Ele é visual. A imagem é bastante colorida e bem arrumada.
  • Ele é relevante. Esse anúncio é oportuno, pois a oferta expira no mês seguinte. Além disso, ele promove uma loja onde provavelmente eu compraria.
  • Ele inclui uma proposição de valor atraente. Você ganha $10 de desconto em seu primeiro pedido, uma proposição de valor que é mencionada não uma, mas duas vezes. Além disso, há prova social: Mais de 5.000 pessoas resgataram essa oferta e você não quer ficar de fora.
  • Ele tem um call-to-action claro. O CTA “obtenha a oferta” é clara.

6) O anúncio de evento

Os anúncios de evento promovem (você adivinhou) um evento específico. O CTA nesses anúncios normalmente envia os usuários diretamente à página de compra de ingressos, seja onde for que esteja hospedada.

Usar esse tipo de anúncio ajudará a conduzir um grupo alvo de pessoas para participar do seu evento. Ele será exibido no feed de notícias do público específico escolhido. Eventos são parte importante da rotina da maioria das empresas, mas fazer com que as pessoas participem mesmo de um evento pequeno, pode ser complicado. Promover seu evento a um público alvo específico no Facebook pode ajudar a impulsionar o tipo certo de participantes.

Um bom anúncio nesse formato mostrará claramente os benefícios da participação no evento: O preço, datas e um CTA claro para comprar um ingresso. Os anúncios de eventos abaixo do Tortuga Music Festival exibe a data e hora em que as bandas tocarão:

event facebook ad

Por que esse anúncio é bom?

  • Ele é visual. A imagem por si só vale mais que mil palavras sobre o quanto esse concerto será divertido. Ele não só acontece na praia, como também em um dia lindo e o palco parece incrível. Além disso, ele representa claramente o que esperar durante o evento e chama a atenção de uma pessoa que esteja passando pelo feed de notícias. (A linda água do oceano realmente ajuda).
  • Ele é relevante. A pessoa que viu esse anúncio é fã de Kenny Chesney e já foi em outros shows antes. Ela também é originalmente da Flórida, onde esse evento acontece.
  • Ele fornece uma proposição de valor atraente. Como a imagem é de um dia lindo, parece ser um lugar ideal para estar, especialmente para as pessoas que estejam vendo o anúncio em suas mesas de trabalho. O anúncio diz também claramente o preço do ingresso, para que você saiba antes de clicar. (Isso também é bom para o anunciante: ao incluir o preço, o anunciante permite que os usuários selecionem dependendo se podem arcar com o ingresso ou não. Se não puderem, eles não clicarão, economizando dinheiro do anunciante em cliques não qualificados).
  • Ele tem um call-to-action claro. O CTA é claro: “Compre”. Os anunciantes também acrescentam um texto urgente com o título “O tempo está se esgotando!”, incentivando a comprar seu ingresso antes que seja tarde demais.

7) O anúncio de redirecionamento

Um anúncio de redirecionamento promove um anúncio a uma lista específica de pessoas previamente identificadas. Já viu anúncios seguindo você pela Internet, após visitar certo website? Então, você viu um anúncio de redirecionamento. No meu caso, a Vineyard Vines me segue por todas as partes e geralmente é bem-sucedida em fazer eu comprar mais!

O Facebook tem o mesmo recurso. Um anunciante pode anunciar a uma lista de leads ou clientes fazendo upload de uma lista de endereços de e-mail que eles já têm no Power Editor para criar um público personalizado. Essa tática tem sido muito bem-sucedida para a HubSpot para obter reconversões a nosso banco de dados existente em nossas avaliações gratuitas e nosso CRM. Um bom anúncio de redirecionamento reconhece que a marca sabe que você já está interessado em seu produto. (Porque, encaremos os fatos, o redirecionamento pode ser um pouco assustador).

Semana passada, eu decidi planejar uma viagem à Grécia. Após pesquisar em vários sites, experimentei a Jetsetter para ver se poderia encontrar uma oferta de hotel. Alguns dias mais tarde, entrei no Facebook e vi o anúncio abaixo.

facebook ad retargeting example

Eles acertaram em cheio. Por quê?

  • Ele é visual. A imagem não é muito confusa e me dá uma boa ideia do que esperar ao reservar.
  • Ele é relevante. Novamente, eles destacam que eu já estava planejando as férias e me mostram um anúncio de um hotel que eu já havia visto. Eles acertam em cheio na relevância para mim.
  • Ele inclui uma proposição de valor atraente. Hotéis de luxo com 40% de desconto me fazem dar uma segunda olhada.
  • Ele tem um call-to-action claro. O texto na parte inferior da publicação é: “Ofertas exclusivas começam hoje!” Isso me incita a conferir nesse dia.

Então, eu cliquei para conferir esse hotel adorável? Claro! Santorini, lá vou eu.

8) A publicação impulsionada

Uma publicação impulsionada é uma publicação orgânica do Facebook que estava originalmente na página inicial do Facebook de uma empresa e que mais tarde foi impulsionada com dinheiro de publicidade.

A diferença em relação aos anúncios acima é que ela não é criada no gerenciador de anúncios. Você pode incluir mais texto na descrição, pois não há limite de contagem de palavras em publicações impulsionadas como nos anúncios. Você também pode ter um link na cópia.

Os contras? Publicações impulsionadas deixam menos opções para negociação, direcionamento e preço. Você também não pode executar nenhum tipo de teste A/B, pois está promovendo uma publicação que já foi criada e não criando uma do zero.

Esse é um exemplo de publicação impulsionada da Fabletics:

ScreenShot2015-03-25at9.00.27PM

O que faz com que esse anúncio seja bem-sucedido?

  • Ele é visual. A imagem de uma modelo em forma funciona muito bem para vender roupas de ginástica. As cores e a luz combinam com o texto e as cores de fundo da caixa de texto também.
  • Ele é relevante. Como uma mulher que gosta de malhar, diria que isso é relevante para meu grupo demográfico.
  • Ele inclui uma proposição de valor atraente. Uma roupa de ginástica por $25 mais frete grátis é um ótimo negócio, por isso eles destacam o desconto duas vezes, e não apenas uma. (E com um ENORME texto).
  • Ele tem um call-to-action claro. O anúncio pede para responder a um teste para ganhar a roupa de $25 e me fornece um link que me direciona diretamente ao teste.

Um bônus adicional? A prova social na parte superior me informa que três amigos já curtiram a página da Fabletics. Isso me incentiva a também curti-la, o que posso fazer sem mesmo sair do anúncio, clicando no botão “Curtir” na parte superior.

Aqui está: uma lista de diferentes tipos de publicações no Facebook e alguns exemplos incríveis de todas as diferentes marcas. A plataforma de gerenciamento de anúncios do Facebook ensinará como configurá-los com instruções simples e passo a passo, por isso, você não se sentirá sobrecarregado.

Por: Hubspot

admin Nenhum Comentário

COMO CONSEGUIR MAIS CURTIDAS NA SUA PÁGINA DO FACEBOOK

Todas as marcas estão no Facebook pelo mesmo motivo: fazer mais negócios. Mas fazer mais negócios a partir do Facebook tem significado diferente para tipos de empresas diferentes. Marcas distintas têm objetivos distintos, como aumentar as vendas na loja, aumentar as vendas online, lançar um produto novo, criar conscientização ou promover um aplicativo para dispositivos móveis.

Seja qual for o objetivo, há algumas etapas que ocorrem antes de os usuários do Facebook virarem um negócio de fato. Primeiro, você precisa criar um público no Facebook, depois conduzir o tráfego inbound para seu site e, em seguida, transformar esse tráfego em leads qualificados para, então, convertê-los a clientes.

Este post é sobre o primeiro passo de todo esse processo: criar um público que realmente tenha interesse no que a sua empresa vende. Caso você tenha configurado sua página do Facebook recentemente ou apenas se quiser saber como obter mais curtidas, este post é para você.

Como conseguir mais curtidas no Facebook

1) Inclua informações pesquisáveis na sua página. 

Para aumentar o número de fãs no Facebook, inclua conteúdo relevante, útil e pesquisável em todas as seções da sua página. Lembre-se: todo o conteúdo da sua página será indexado pelos mecanismos de busca, o que ajuda a atrair mais fãs para sua página.

Não estou dizendo para você entupir a página de palavras-chave, mas sim otimizar cada seção com palavras-chave apropriadas para sua empresa

Por exemplo, depois de criar sua página no Facebook, verifique se a seção Sobre inclui:

  • Uma visão geral do que sua empresa oferece
  • Um link para seu site
  • Outras informações que ajudem os clientes em potencial a conhecer melhor sua empresa

2) Inclua caixas de curtidas do Facebook no seu site e no seu blog.

Aumentar as chances de sua página do Facebook ser descoberta inclui promover sua presença nessa rede social usando os canais de marketing que você já tem e remover os obstáculos para contatos existentes curtirem sua página.

Se você tem um site ou blog, use vários plugins sociais do Facebook para levar as pessoas a curtirem sua página sem precisarem acessar o Facebook.com.

Embora o botão Curtir permita que os usuários curtam conteúdos específicos na web e compartilhem no Facebook, a caixa Curtir foi desenvolvida apenas para páginas do Facebook. Ela é uma ótima maneira deaproveitar a prova social para ampliar sua página, pois exibe o número de curtidas da sua página, juntamente com as fotos de alguns de seus fãs do Facebook. Para implementá-la, acesse este link e personalize o seu botão. Em seguida, gere o código e incorpore-o em seu site, blog e onde você quiser que a caixa apareça.

 3) Convide contatos existentes para curtir sua página.

É grande a probabilidade de você já ter amigos, parentes e clientes que queiram se conectar com a sua empresa no Facebook:  basta pedir. Seja pessoalmente, por email ou Facebook, tente pedir curtidas e avaliações positivas. Apenas tenha cuidado para não fazer muita promoção para pessoas desinteressadas.

Você também pode incentivar as conexões existentes a se tornarem fãs, aumentando a probabilidade de elas verem uma sugestão do Facebook para curtir sua página. Como? Faça o upload de uma lista de emails para o Facebook. Aqueles que estiverem na lista e no Facebook terão mais chances de ver uma sugestão para curtir sua página em locais como “Páginas recomendadas”. Seus contatos que não estão no Facebook não verão essa sugestão.

Para fazer o upload de contatos de email pelo Facebook, abra o menu “Criar público” (localizado no canto superior direito da sua página no Facebook) e selecione “Convidar contatos de e-mail”.

Você pode incluir até 7.000 contatos por dia por página e, no máximo, 5.000 contatos por vez.

4) Convide os funcionários para curtirem sua página.

As pessoas tendem a curtir mais as páginas que já têm um certo número de seguidores, e seus funcionários podem ajudar a empresa a começar. Afinal, eles são os maiores defensores da sua marca.

Peça a eles que curtam a página oficial da empresa no Facebook. Depois, incentive-os a compartilhar, curtir e comentar o que sua equipe postar também. Os funcionários que realmente quiserem compartilhar o amor que sentem podem incluir nas assinaturas de email ou nos perfis de mídias sociais deles um link para a página da sua empresa no Facebook.

5) Incorpore o Facebook nos seus canais de comunicação offline.

Tem uma loja física? Pense em formas de incentivar os clientes a se tornarem seus fãs no Facebook. Aqui estão algumas ideias para você começar:

  • Coloque adesivos nas vitrines promovendo o nome da sua página.
  • Inclua sua URL do Facebook nos recibos.
  • Realize uma promoção em que os clientes que se tonarem fãs do Facebook ali na loja poderão receber pequenos descontos.

Você promove sua empresa offline? Inclua links para sua página no Facebook e outros perfis de mídia social em anúncios, filipetas, cupons, catálogos, cartões de visita e malas diretas.

6) Promova a empresa no Twitter e no LinkedIn também.

Adicione um link para sua página no Facebook nos seus perfis comerciais no Twitter e no LinkedIn (e também no seu perfil pessoal). Tweete sobre sua página no Facebook ocasionalmente para incentivar seus seguidores do Twitter e suas conexões do LinkedIn a manter contato com você em outra rede.

Adicione o seu link do Twitter à sua página no Facebook e tweete sobre ela de vez em quando. Não fique restrito ao Twitter e ao Facebook, você também pode usar o LinkedIn, Flickr, YouTube etc (em inglês) para promover sua empresa. Mas fique atento para que suas promoções sejam estratégicas e na medida certa. Não vire um spammer para os outros públicos que você desenvolveu com tanto empenho.

7) Poste conteúdo relevante.

A melhor maneira de aumentar o número de seguidores no Facebook é tratar seus fãs como pessoas. Isso significa oferecer a eles conteúdo consistente e relevante, com frequência. Essa oferta de valor é demonstrada com o conteúdo que você cria e compartilha com seus fãs e com a forma que você interage com eles.

Tudo está ligado à construção de relacionamentos duradouros com seus fãs do Facebook. Talvez eles não se lembrem de um post específico, mas se perceberem que você sempre posta conteúdo de alta qualidade, útil e relevante, vão considerá-lo um recurso valioso.

Então, como saber o que postar? Se você estiver em sintonia com suas buyer personas, provavelmente terá uma boa noção dos tipos de conteúdo que agradam seus clientes. Se não ou se você apenas precisa de alguma inspiração, passe uma semana anotando os tipos de conteúdo de seu próprio feed de notícias que faz você clicar, comentar ou compartilhar. O que o inspirou? Use suas observações como inspiração para posts futuros.

8) Seja ativo.

Conseguir mais curtidas do Facebook não se resume à otimização do perfil e a um envio inicial. Para continuar a crescer de forma constante, você precisa manter uma presença ativa e contínua.

Isso quer dizer não apenas postar conteúdo informativo e educativo regularmente, mas também monitorar sua presença e interagir com seus fãs. Pergunte, responda e participe de discussões com as pessoas que postam na sua página. Encontre, siga e crie relações com outras pessoas do seu setor. Crie uma presença que seja boa de seguir.

9) Use anúncios do Facebook para ampliar seu alcance.

Aumentar curtidas no Facebook organicamente é a melhor forma de conduzir a participação e, por fim, converter fãs em clientes. Mas, se você tiver o orçamento para isso, incorpore a publicidade paga à sua estratégia do Facebook para reforçar seu trabalho intenso.

O Facebook oferece um tipo de anúncio chamado de “anúncio de Curtida na página“. Ele tem um CTA sugerindo aos usuários que curtam sua página no Facebook. Esses anúncios podem aparecer em feeds de notícias dos usuários ou na coluna direita do navegador da web, quando eles estiverem no Facebook.

Se você já esgotou seus contatos existentes e quer alcançar pessoas que ainda não conhecem sua página, mas estão interessadas na sua empresa, pode usar os recursos de direcionamento granular do Facebook para atingir as buyer personas ideais e aumentar seu público.

admin Nenhum Comentário

LINK BUILDING: COMO GERAR TRÁFEGO ORGÂNICO E DE REFERÊNCIA PARA SEU SITE

Links são geradores poderosos de tráfego para seu site: além de atraírem diretamente visitantes para sua página, eles são um dos itens mais importantes utilizados pelo algoritmo do Google para reconhecer a autoridade do seu domínio e lhe trazer visitas orgânicas.

Segundo pesquisa da Backlinko com 1 milhão de buscas no Google, entre 11 critérios analisados, a variedade e autoridade dos links que apontam para seu site são os que apresentam maior correlação com um bom posicionamento.

São muitas as estratégias white hat utilizadas para se conseguir estes almejados ativos virtuais, mas centrarei meus comentários sobre aquelas que considero as principais: assessoria de imprensa, guest blog e publicações espontâneas.

TABELA_SERVIOS_PRESSWORKS.jpg

1) Assessoria de Imprensa

Para esta estratégia, o formato do conteúdo é o press release (ou “comunicado à imprensa”), que consiste em um texto com linguagem jornalística, com a opção incluir imagens, infográficos, vídeos e animações. Essas informações são divulgadas para jornalistas relevantes para aquele tema por meio de uma agência de assessoria de imprensa.

A escolha do assunto do release é crítica, pois ele deve despertar o interesse da mídia para ser veiculado, caso contrário irá para a gaveta. Este é o ponto onde mora o erro mais comum dos caçadores de links: elaborar conteúdos sobre, por exemplo, o lançamento de um novo site ou o aniversário de “X” anos da empresa, que são pouco relevantes para o público externo. Nestes casos, a chance de veiculação de uma matéria é bastante reduzida.

Um release deve compartilhar um fato interessante e/ou despertar emoções para ser atrativo. Elaboramos um guia rápido de boas histórias que podem lhe inspirar para escrever um press release:

Brainstorming para identificar bons temas para releases

Consegue gerar um conteúdo que _____________________

  • Mostra como ideias, produtos ou serviços inovadores resolvem problemas comuns
  • Transforma um tema complexo em dicas simples que podem ser seguidas
  • Conta casos de sucessos que podem servir de exemplo
  • Dá orientações de como economizar ou ganhar dinheiro
  • Traz a continuação de uma história que acompanhamos
  • Inspira a agirmos de forma diferente
  • Traz um ranking (de maiores, melhores, etc.) de uma determinada categoria
  • Ajuda a reinterpretar o passado de forma diferente
  • Dá uma visão de como será o futuro
  • Conta algum segredo
  • Mostra que existem mais opções ou detalhes do que estamos acostumados a pensar
  • Nos encoraja a não desistir
  • Nos educa de forma divertida
  • Conta histórias com desfechos improváveis ou com reviravoltas
  • Desperta fortes emoções, como alegria, esperança ou compaixão
  • Articula de forma lógica uma ideia que está no ar
  • Demonstra como o mundo mudou
  • Aumenta nossa autoestima ou dá orgulho do nosso país, região, cidade ou de pertencer a algum grupo

2) Guest blog

Quando um blog publica artigos de autores externos geralmente exige que o conteúdo seja exclusivo. Portanto, é importante escolher com critério quais são os sites que justificam que você elabore um texto para publicação única: avalie a autoridade de domínio, número médio de compartilhamentos dos posts e se é praxe do editor aceitar a publicação de hyperlinks.

É importante ter clareza de quais são os sites em que seu público-alvo costuma se abastecer de informações. Verifique quem são os autores no feed para entender se a aceitação de textos de terceiros já é prática comum ou não: isto lhe ajudará a fazer sua oferta de parceria. Lembre-se que oferecer permuta delinks não é uma boa ideia para esta equação: o Google não reconhece a legitimidade desta prática.

3) Reivindique links de publicações espontâneas

Se sua empresa já está no mercado há algum tempo, é possível que ela tenha recebido citações de outros sites, por exemplo, participações em eventos/congressos, depoimentos de clientes ou artigos antigos de sua autoria. É comum que domínios com os quais você sequer teve algum tipo de contato reproduzam matérias publicadas em grandes portais de notícias que façam menção à sua empresa.

Faça uma busca pela sua marca, nome de produtos e principais executivos no Google, e verifique se estas publicações espontâneas têm hyperlink. Em caso negativo, entre em contato com o webmaster e/ou editor do site, agradeça a publicação e peça a inserção do hyperlink.

admin Nenhum Comentário

Os 4 estágios do funil de Inbound Sales

Você já utiliza o funil de vendas na sua empresa? Entende exatamente o que ele significa e como a sua área de Marketing pode ajudar a tornar a passagem de um estágio para outro mais eficiente?

Trouxemos esse tema para o nosso blog porque percebemos que muitas empresas ainda medem suas áreas de vendas apenas pelo número de novos clientes e suas áreas de marketing  pelo número de visitantes no site ou fãs no Facebook. Talvez essas sejam as métricas mais visíveis, mas é importante entender que no meio desse caminho existem estágios importantes e que nem todos os visitantes chegam ao seu site com o mesmo interesse, e às vezes, por uma falha no encaminhamento, acabam não se tornando clientes.

Esses estágios e a transição entre eles formam o que chamamos  de funil de vendas, que também pode ser chamado funil do Marketing, no qual o volume de pessoas que chegam no topo (visitantes) vai diminuindo ao longo do processo de venda até saírem como clientes.

Entender a dinâmica presente nessa ferramenta pode auxiliar a sua empresa a identificar possíveis pontos de melhoria, além de garantir que os esforços nas ações diárias aumentem a velocidade e a qualidade das suas vendas.

A quantidade de etapas em um funil pode variar de acordo com a empresa, produto ou estratégia de marketing adotada. Como aqui estamos falando de Inbound Marketing, vamos nos deter aos 4 estágios principais que também usamos para acompanhar nossas métricas na Resultados Digitais.

1. Visitantes

Neste primeiro estágio estamos falando basicamente de todas as pessoas que por alguma razão visitam o seu site via google, redes sociais, por um anúncio ou por qualquer outra fonte de tráfego. O interesse dos visitantes ainda é bastante diversificado e aparecem desde curiosos que estão apenas realizando uma pesquisa na Internet até  aqueles que já estão buscando uma solução específica.

Nessa etapa é importante prender a atenção desse contato, afinal de contas, você teve um custo para fazer com que ele chegasse até o seu site. Por isso, procure sempre oferecer conteúdos atualizados e de qualidade para motivar o seu visitante a voltar com mais frequência. Um bom conteúdo também vai ajudar a ter seus links compartilhados mais vezes em redes sociais e mencionados em outros sites, o que provavelmente vai aumentar o número de visitas e garantir que o ciclo de promoção desses conteúdos funcione bem e se torne cada vez maior.

Em relação aos visitantes, é importante utilizar ferramentas que analisem as páginas mais acessadas por eles, os conteúdos mais vistos, a taxa de retorno das visitas, além de outros dados que permitam analisar o comportamento de quem acessa o seu site.

Ter visitantes é ótimo, mas para garantir que o processo de vendas siga saudável, precisamos fazer algo para que o visitante passe para o próximo estágio e se torne um Lead.  Para que isso aconteça e para garantir um relacionamento futuro, é preciso capturar esses Leads através de formulários de contato, solicitações de orçamento ou no caso do marketing de conteúdo, através de ofertas como eBooks, Webinars e descontos, que podem ser disponibilizados em uma Landing Page com formulário de cadastro para download.

2. Leads

Para manter uma boa quantidade deLeads no funil é importante medir o resultado de todas as ações que convertem Leads para visitantes. Baixas taxas de conversão podem indicar que a oferta não é tão atrativa, ou que muitos dados são exigidos nos formulários, ou ainda, que os campos pedem informações muito delicadas e que nem todos gostam de compartilhar, como CPF e telefone por exemplo. Nesse caso vale criar testes A/B para entender quais são os fatores que realmente fazem a diferença e também para garantir a qualidade dos Leads que estão entrando.

Após capturar esses visitantes e torná-los Leads, é preciso conquistar sua confiança. Boa parte dessa construção acontece através da nutrição dos Leads, como por exemplo com Emails com bom conteúdo, bem segmentados e focados nas necessidades de cada Lead. Existem ferramentas, como o RD Station, que permitem que esse processo aconteça de maneira automatizada, mas é importante garantir que os seus contatos sejam separados em níveis de maturidade em relação ao problema que querem resolver e peloestágio em que se encontram no funil de vendas. Com os seus Leads segmentados em grupos menores fica mais fácil entender o tipo de material que precisa ser produzido para ser enviado nas campanhas de nutrição.

É nessa etapa, também, que o marketing começa a fazer a qualificação dos Leads que estão mais avançados e que possuem o perfil dos clientes da sua empresa. Aqui os Leads se dividem entre os que já estão prontos para serem repassados para Vendas e os que permanecem em Marketing pois ainda não atendem critérios predefinidos que o tornariam qualificado. Tamanho da empresa, segmento, cargo do Lead ou número de materiais baixados podem ser critérios para definir se um contato deve ou não ser enviado para um vendedor, passando assim para o próximo estágio.

3. Oportunidades

Leads qualificados e bem preparados aumentam a possibilidade de fechamento para o time de vendas. Nessa etapa, aqueles visitantes que foram capturados e trabalhados com o apoio do conteúdo gerado pelo Marketing passam a ser contatados pela equipe de vendas que deve se aproveitar do histórico existente para realizar uma abordagem mais assertiva, aqui o Lead já passou de estágio e virou uma Oportunidade.

Nesse momento os Leads já estão mais abertos ao primeiro contato, uma vez que já conhecem e percebem na sua empresa uma fonte de conhecimento útil para a decisão da compra. Eles foram previamente nutridos de informações que os levaram a identificar problemas existentes e que podem ser resolvidos com o suporte dos seus vendedores, além de já estarem qualificados pela área de Marketing.

Os Leads podem ser contatados com uma oferta indireta como por exemplo, uma oferta de avaliação gratuita, tornando a receptividade para o contato ainda mais fácil. Para isso, use e abuse das informações presentes no histórico de relacionamento gerado pelo Marketing para ir direto ao ponto de “dor” do seu potencial cliente. Afinal, se o seu Lead vem acompanhando materiais sobre um tema específico é muito provável que ele se mostre aberto a uma solução.

Nesse estágio o apoio do Marketing também é fundamental e acontece através da produção de conteúdo mais focado na decisão de compra, como por exemplo, materiais que comparam soluções, ou ferramentas que ajudem o Lead a começar um planejamento. Intercalados com as intervenções do vendedor, esses conteúdos são armas poderosas para ampliar a conversão e levar essa oportunidade ao estágio final.

É importante entender se as oportunidades correspondem ao perfil desejado pela área comercial e acompanhar as taxas de conversão para clientes. Para isso, vale mapear o perfil daquelas oportunidades de maior sucesso e entender o caminho que elas percorreram antes de serem qualificadas pelo Marketing. Materiais baixados recorrentemente, páginas mais acessadas e Emails mais clicados podem indicar a preferência por um assunto e guiar o planejamento de conteúdo da sua empresa.

Aqui é o momento de fazer uma boa abordagem de venda consultiva que assimile tudo que o Lead já viu até aqui, para finalmente levá-lo ao último estágio: a conversão para cliente.

4. Clientes

Depois de um processo de vendas completo, conduzindo seu Lead a cada estágio do funil, seu time vai começar a ser recompensado. Oportunidades que se convertem em clientes agora estão prontos para aproveitar todos os benefícios oferecidos para eliminar a “dor” descoberta durante o caminho percorrido no funil através do seu produto ou serviço.

Tenha certeza que o trabalho do Marketing não para por aí, na verdade, aqui começa um período muito importante para estimular a retenção, aumentar a possibilidade de ser recomendado ou realizar novas vendas para o mesmo cliente.

É importante medir o nível de satisfação dos clientes, o volume de novas compras e também saber quantas vendas estão acontecendo graças a indicação dessas pessoas. Nessa etapa uma ferramenta bastante útil são os CRMs comerciais e as entrevistas individuais para descobrir a realidade de cada perfil de comprador.

Provavelmente as necessidades dele não serão completamente resolvidas de primeira, ele terá uma nova dúvida, buscará aprender mais e com isso vai entrar novamente em um funil de vendas para um novo produto ou serviço. Por isso é importante pensar em conteúdos que façam seu cliente evoluir bem no funil e que estimulem programas de indicação com aqueles clientes que estão mais engajados e motivados com a sua solução.

Agora que você entendeu melhor como o funil de Inbound Sales funciona, lembre-se de acompanhar diferentes métricas que provem o valor da sua estratégia, para poder sempre otimizar o processo e melhorar o resultado final que impacta diretamente na receita do seu negócio.

Para saber em qual estágio do funil você precisa fazer melhorias é importante medir a taxa de conversão entre cada um deles, observando fatos novos e conhecendo as pessoas que passam por esse processo utilizado pela sua empresa.

Para uma análise completa sobre o seu funil de vendas, nós da Resultados Digitais em parceria com a Contentools, criamos o Funil do Marketing, uma ferramenta gratuita e eficaz na hora de entender onde focar as ações de melhoria para levar o maior número de visitantes até o estágio de clientes.

admin Nenhum Comentário

POR QUE O INBOUND MARKETING É NECESSÁRIO EM CADA FASE DO FUNIL DE VENDAS

Algumas coisas naturalmente tem que ir juntas. Pense em Chitãozinho e Xororó, Batman e Robin e meu favorito: pizza de frango com catupiry.

Não importa que os anos vão se passando, nunca me canso da delícia que é uma pizza de frango com catupiry. Há algo especial sobre essa combinação da massa da pizza crocante com o frango bem picadinho e o catupiry cremoso.

Mas, retire um dos ingredientes da pizza (ou dois, para essa finalidade) e você terá uma comida gostosa, porém sem graça.

TOFU, MOFU e BOFU são a pizza de frango com catupiry do mundo do inbound marketing. Você não pode criar uma grande estratégia de inbound sem tratar do topo, meio E base do funil. Remova um deles e seu plano não funcionará. Aqui está o motivo.

O funil de vendas

Compreender o funil de vendas e desenvolver estratégias para atrair e nutrir clientes prospectivos no topo, meio e base do funil são fundamentais para tornar o inbound marketing uma estratégia eficaz. O conceito do funil de vendas não é nenhuma novidade.

Todo vendedor experiente sabe que no topo do funil (conhecido como “TOFU”) há um grande conjunto de leads não qualificados. A meta é classificar esses leads para encontrar as pedras preciosas escondidas, clientes prospectivos que precisam do seu produto/serviço e têm o orçamento para pagar por eles e, finalmente, qualificar esses leads e convertê-los em clientes. O inbound marketing usa conteúdo para esse fim.

Topo do funil (TOFU)

No topo do funil, o comprador está normalmente tentando resolver um problema ou suprir uma necessidade. Como resultado, eles procuram aprender e encontrar informações que ajudem a descobrir qual a melhor solução. Nesse ponto, seu valor como lead é baixo, pois eles não são qualificados e a probabilidade de compra é incerta.

Se sua empresa for como a nossa, há literalmente milhares (quem sabe, milhões) de potenciais clientes por aí, mas você pode não desejar fazer negócios com um grande número deles. Antes de poder qualificar esses leads, você precisa ajudá-los a encontrar você online e garantir que eles saibam que você existe.

Como fazer isso? Oferecendo respostas às suas perguntas e soluções aos seus problemas. Como a maioria das pessoas começa seu processo de compra online, uma das estratégias mais poderosas para atrair visitantes e converter leads no topo do funil é criar conteúdo rico em palavras-chave na forma de blogs.

A ideia é que, quando alguém estiver no Google procurando saber mais sobre um tópico relacionado aos seus produtos ou serviços, ele possa encontrá-lo. Pense nos blogs como o combustível que alimenta o inbound marketing. De fato, uma pesquisa da HubSpot indica que as empresas que escrevem blogs têm 55% mais tráfego de website que aquelas que não escreve.

Como ter certeza de que seus blogs serão encontrados? A primeira etapa é otimizar corretamente suas publicações para mecanismos de pesquisa. Você está usando palavras-chave de cauda longa relevantes no título e cópia do blog? Você tem bons metatítulos e metadescrições que contêm suas palavras-chave e estão ajustados aos limites de caracteres impostos pelos mecanismos de pesquisa (normalmente, 60 caracteres para títulos e 160 para metadescrições)?

Assim que seus blogs estiverem otimizados, será hora de informar o mundo sobre eles. É como o velho ditado, “se um árvore cai na floresta e não tem ninguém para ouvir, ela faz um som?” Faça algum alarde e coloque seus blogs na frente das pessoas que você está tentando alcançar, promovendo-os através das mídias sociais. Se o conteúdo do seu blog for “perene”, lembre-se de continuar promovendo-o após a data de publicação inicial. Com isso, os blogs serão como presentes que nunca acabam!

Conteúdo de TOFU, como blogs, são excelentes para aumentar o tráfego de visitantes no website, mas de que serve o tráfego se você não consegue transformar esses visitantes em leads e capturar informações sobre eles? Essa é a finalidade das ofertas de meio de funil. Uma estratégia de TOFU sem estratégia de MOFU é como uma torrada. É gostosa, mas sem algo em cima da massa, não existe uma pizza.

Meio do funil (MOFU)

Embora os blogs sejam eficazes para trazer visitantes ao seu website, eles não ajudam a qualificar prospects ou fechar uma venda. As ofertas de MOFU são indiscutivelmente a parte mais importante do funil de vendas, pois transformam visitantes em leads e ajudam a separar os bons leads dos ruins.

Prospects no meio do funil sabem que têm um problema, ou necessidade, que precisa ser resolvido e se mexeram-se para determinar a melhor solução. Como resultado, seu compromisso de fazer uma compra é maior e a probabilidade de fechar um negócio com eles é maior. Como eles estão um passo mais perto de fazer uma compra, os prospects de MOFU geralmente são leads muito bons e o conteúdo oferecido a eles nessa fase determinará se vale a pena que um vendedor entre em contato com eles diretamente.

Enquanto o conteúdo do topo do funil tem como objetivo educar os compradores e mostrar a eles como podem resolver seus problemas, as ofertas de meio de funil mostram porqueseus produtos ou serviços são a melhor opção. Eles diferenciam os coletores de informações casuais das pessoas realmente interessadas em comprar (esperamos que de você!).

Não basta simplesmente oferecer grande conteúdo aos visitantes do seu website. Você precisa capturar informações sobre eles para que possa qualificar e nutrir os melhores leads. Faça isso colocando seu conteúdo atrás de uma “porta” e de uma landing page, com um formulário de conversão. No mínimo, certifique-se de que seus formulários exijam que os visitantes forneçam nome e endereço de e-mail. Com essas informações, você pode criar campanhas de nutrição de leads por e-mail e personalizar esses e-mails (uma excelente maneira de aumentar taxas de abertura e clickthrough!).

Assim que um prospect passar pelo meio do funil, você deverá saber se eles estão planejando fazer uma compra ou não. Nesse ponto, ter uma boa estratégia de BOFU é crucial para converter seus leads em clientes. Uma estratégia de inbound sem ofertas de BOFU seria como uma pizza com frango. Você precisa adicionar o catupiry para fazer a mágica acontecer.

Fundo (ou base) do funil (BOFU)

Assim que um lead chega na base do funil, ele está pronto para comprar e a única pergunta é de quem ele irá comprar. Esses leads são as “frutas mais baixas” do funil de vendas. Frequentemente, os leads na base do funil precisam apenas de um pequeno empurrão para que executem uma ação. A oferta certa de BOFU pode ser muito eficaz para ajudá-lo a acelerar a taxa de fechamento de negócios.

Ironicamente, a maioria dos websites está cheia de ofertas de BOFU, como testes ou avaliações, botões de “agende uma reunião”, cupons, etc. Embora seja definitivamente importante ter algumas boas ofertas de BOFU, a maioria dos visitantes do seu website não está nem um pouco perto de comprar.

Há muitas pesquisas por aí que indicam que os compradores percorrem de 60 a 70% do caminho do processo de compra antes de querer falar com um vendedor. Como as ofertas de BOFU são essencialmente um convite para venda, provavelmente a maioria dos seus visitantes não converterá com elas.

A melhor abordagem é combinar suas ofertas de BOFU com ofertas de MOFU, para que você tenha algo para oferecer aos visitantes, independente de sua posição no processo de compra. Isso aumentará drasticamente sua taxa de conversão de leads e manterá você na frente de compradores prospectivos desde cedo em seu processo de tomada de decisão, permitindo influenciar sua opção de solução e posicionar você como o provedor de preferência.

É importante não esquecer que a base do funil vai além de fechar negócios. É também o ponto de partida das análises de closed loop. Os melhores profissionais de inbound marketing avaliam permanentemente a eficácia de suas campanhas e ajustam suas estratégias para maximizar os resultados.

Por exemplo, se você ver que as mídias sociais estão gerando muito tráfego para seu website, você pode supor que deveria colocar mais recursos nelas. Mas, se suas taxas de conversão de visitante em lead ou de lead em cliente são baixas para mídias sociais, mas altas para e-mail marketing, você pode tirar melhor proveito do seu dinheiro focando em e-mails.

Esse é outro excelente exemplo da necessidade de uma estratégia integrada de TOFU, MOFU e BOFU. Muitos profissionais de marketing confiam exclusivamente nos números de tráfego de visitantes para guiar suas estratégias de marketing sem investir seu tempo para compreender a eficácia de cada canal de marketing para transformar esses visitantes em leads e clientes.

É hora da pizza de frango com catupiry!

A combinação certa de estratégias de TOFU, MOFU e BOFU é realmente a receita secreta do sucesso do inbound marketing. Atraia os leads certos (prepare a massa), mova-os para baixo no funil (espalhe o frango por cima da massa) e feche negócios (adicione o catupiry), que você terá uma estratégia de marketing que vai produzir ROI real e mensurável.

admin Nenhum Comentário

Email Marketing: 18 dicas fantásticas para deixar seus emails super atrativos

O email marketing continua mostrando o seu valor e o seu crescimento como uma das principais estratégias de relacionamento e venda no Marketing Digital, e a mensuração de interações com esse canal é um dos principais fatores que mostram essa importância.

Algumas empresas costumam se preocupar apenas com a entrega e a taxa de abertura das campanhas de email marketing, mas venho através desse artigo propôr uma reflexão acerca do que pode ser feito para otimizar a taxa de cliques. Ou seja, ideias de diferentes conteúdos que podem ser utilizados em uma campanha de email, provando o valor da interação mais relevante nas métricas de email marketing.

1. Crie um clube exclusivo

Fazer com que os assinantes de suas campanhas de email se sintam especiais é uma ótima forma de gerar entusiasmo pelo conteúdo ou ofertas que estão sendo enviadas para eles, além de ser uma ferramenta de construção de comunidade poderosa.

Exclusividade pode ser sutil ou evidente, dependendo da situação, como no exemplo da Apple. Sempre que a empresa vai lançar um novo produto, milhares de pessoas acampam em frente às lojas esperando para serem as primeiras a comprar os últimos lançamentos. Ao oferecer um pedido antecipado para quem assina os seus emails, a Apple gera um maior lucro com a emoção gerada pela exclusividade e sem causar tanto estresse adicional em suas lojas de varejo. Com o incentivo do frete grátis, esses emails de pré-lançamento fizeram com que as vendas do iPhone 6 fossem triplicadas antes de seu lançamento.

Uma dica que pode ser implementada nos emails é a utilização da expressão “Acesso antecipado” na linha de assunto do email. Isso faz com que as pessoas que vão receber os emails se sintam parte de um clube exclusivo, o que elas realmente são. Pode ser feito com o lançamento de algum material de conversão através de uma Landing Page ou com o lançamento de um post novo do blog um dia antes para os assinantes de email.

iphone 6 email marketing

2. Mostre que você se importa

Os assinantes de seus emails recebem além das suas mensagens, milhares de outros emails em sua caixa de entrada todos os dias. Estão sendo constantemente convidados a fazer um trial gratuito, download de um eBook ou seguir a empresa no Twitter.

Não há modo melhor para se diferenciar do que mostrar ser diferente do barulho que é gerado pelas outras empresas todo dia no inbox dessas pessoas. O melhor conselho para encantar os seus clientes é demonstrar que você realmente se importa com eles.

Um bom exemplo dessa situação é a forma com que o Dropbox trata os seus Leads, como no email da imagem abaixo:

Mesmo com a mudança de plano e o aumento do armazenamento para 1TB, a companhia norte-americana continuou cobrando um preço mais baixo para o uso do Dropbox, demonstrando grande preocupação com seus clientes.

Exemplos de email marketing (12)

3. Peça por feedback

Pedir por feedback é uma forma interessante de ajudar os Leads/oportunidades/clientes/usuários a entender mais sobre a sua empresa e contribuir para o crescimento dela para ter um produto/serviço melhor no futuro.

Isso pode ser feito através de uma pequena pesquisa incluída no call to action do email, ou de forma mais simples, como o feito pela empresa Dollar Shave Club, no qual eles pedem uma nota de recomendação após o uso do produto/serviço:

Se você pedir por um suporte aos seus Leads, seja sincero e genuíno, que as pessoas irão responder.

Exemplos de email marketing (1)

4. Use provas sociais

De acordo com a pesquisa ZMOT (Zero Momento of Truth) do Think with Google:

  • 54% dos consumidores compraram usando a comparação de produtos on-line;
  • 62% dos compradores dizem que pesquisam ofertas na Internet antes de pelo menos a metade de suas idas às compras.

Não é por acaso que sites como Yelp, Kekanto e Trip Advisor estão em crescimento contínuo. Consumidores confiam no que outros consumidores pensam e falam. A propaganda boca a boca e a prova social de um produto/serviço são de extrema importância para o seu sucesso.

O mesmo princípio pode ser aplicado no email marketing, de forma sutil. Se você possui um número que queira compartilhar, tenha certeza de que todo mundo saiba dessa estatística, como o Trip Advisor faz com o seu email, mostrando o que os seus amigos falam sobre determinado destino de viagem.

Exemplos de email marketing (13)

5. Seja pessoal

A caixa de entrada é um lugar íntimo, mais usado para uma conversa pessoal, portanto sua presença nesse canal de comunicação é um privilégio, e o melhor a ser feito é escrever realmente como um ser humano. Falar sobre desafios, obstáculos e até fracassos pode ser um ponto interessante, pois os leitores vivenciam situações similares em suas próprias vidas pessoais e profissionais.

Exemplos de email marketing (11)

6. Faça da conversão um hábito

É algo relativamente simples, mas extremamente profundo. Cada email gera um tipo de interação diferente, e o clique direcionado para alguma ação externa à mensagem apresentada no corpo do email pode gerar um valor alto. Pode ser desde o “Siga no Twitter” até o “Faça upgrade da sua conta”.

No exemplo abaixo o site de banco de imagens Unsplash oferece a oportunidade de seus assinantes baixarem 10 fotos a cada newsletter enviada semanalmente. Uma pequena ação que gerou um grande valor e fez com que mais pessoas conhecessem o trabalho da empresa, facilitando a futura monetização da estratégia de email marketing.

Exemplos de email marketing (7)

7. Inclua downloads

Cerca de 43% dos emails enviados e recebidos diariamente contém algo em anexo, de acordo com estudos realizados entre 2009 e 2013 pela Radicati.

E o que isso significa na prática? Que os emails são a plataforma perfeita para a troca de arquivos. E como podemos aproveitar esse fato em nossas campanhas? Adicionando utilidades no email que será enviado para a sua base.

Como estamos lidando com marketing, o envio de arquivos em anexo não é uma boa prática, mas pode ser substituído pelo download de arquivos na nuvem, como é feito pelo Dead Stock Photo e pelo Unsplash.

Os emails dessas empresas ajudam não somente pelo design, mas também pela sua utilidade. Eles empoderam o leitor a tomar alguma ação e, mais do que isso, permitem que ele dê um próximo passo no relacionamento com a empresa.

web analytics ebook download

8. Fale aos leitores qual será o próximo passo

Gerei conversões e agora? Essa pergunta não costuma ser feita apenas pela empresa que cria a campanha de email marketing, como também pelo Lead que converteu em algum conteúdo rico e espera um próximo passo claro e definido.

Imagine que você converteu no webinar sobre planejamento de Marketing Digital em 2016 e não recebeu nenhum passo indicando o que fazer após a inscrição e a visualização do webinar. O que devo fazer? Um email falando sobre quais serão os próximos passos e a disponibilização de uma planilha e eBook para auxiliar no planejamento seriam de grande valor para esses leitores, como pode ser percebido nesse email.

Exemplos de email marketing (4)

A empresa de integração de softwares Zapier também utiliza uma estratégia interessante de próximos passos em seus emails, estimulando os seus leitores a realizarem algum tipo de ação no software, indicando uma trilha a ser seguida e que sem a execução das ações, o software ficará subutilizado e não terá valor.

Exemplos de email marketing (8)

9. Use a mesma linha de assunto de cada vez

Essa parece ser uma tática não convencional, mas funciona em casos específicos quando os Leads já conhecem bem a sua marca e confiam em você. O uso de linhas de assunto de email que sejam iguais para identificar um tipo de ação como emails transacionais, notas fiscais facilita os leitores a identificarem qual é a proposta do email.

Esse tipo de email funciona bem também com uma periodicidade pré-determinada, seja uma newsletter diária, semanal ou mensal para toda a base. Um exemplo que pode ser observado é a empresaPeta Pixel que mantém os seus leitores atentos as notícias diárias com boletins informativos.

Exemplos de email marketing (10)

10. Use referências de outras pessoas sobre o seu serviço

Referências de outras pessoas funcionam porque todo mundo sai ganhando: quem falou sobre o negócio, quem foi referenciado e a empresa em si. De acordo com o instituto de pesquisa ReferralCandy, cerca de 83% dos consumidores satisfeitos estão dispostos a opinar favoravelmente sobre um produto ou serviço, mas apenas 29% dessas pessoas o fazem. Motivar essas pessoas a deixarem uma referência pode aumentar bastante o número de conversões, visto que 92% das pessoas preferem a opinião de alguém em relação ao que é falado em um anúncio.

Adicionando referências ao seu produto/serviço em seus emails, cada email desse pode se tornar um novo caminho para vendas.

O site Dollar Shave Club vai além, e propõe que a cada pessoa que clicar no link para dar uma opinião favorável ao serviço deles, ganhe um mês do serviço deles:

Exemplos de email marketing (3)

11. Use botões

Um conselho simples, mas que às vezes costumamos ignorar: se quer que as pessoas cliquem em um link no email, use botões. Existem estudos como o feito pelo Campaign Monitor, que mostram um aumento em até 28% no número de cliques em testes A/B feitos em emails enviados com e sem botões.

Algumas características que costumam ser utilizadas em botões:

  • efeito 3D
  • uma cor contrastante
  • um espaço em branco em torno dele
  • uma seta apontando qual ação tomar

Esses exemplos podem ser percebidos nos emails do aplicativo de músicas streaming Spotify e da plataforma de criação de conteúdoMedium.

Exemplos de email marketing (5)Exemplos de email marketing (9)

 

12. Sobrecarregue os usuários com valor

Os seus emails não são enviados para todo mundo semsegmentação. A personalização é peça-chave na construção de um email, e o envio de mais conteúdos gerando ainda mais valor para os leitores que demonstraram interesse na sua empresa funciona como um impulso maior para as vendas.

Temos como exemplo nesse caso, a Resultados Digitais, que com a automação de marketing, gera mais valor para o leitor quando ele demonstra interesse em determinado assunto. No caso abaixo, o assunto de interesse foi Marketing Digital, e o conteúdo recebido no email foi complementar ao que havia demonstrado interesse anteriormente.

Exemplos de email marketing (7)

13. Alavancar o poder da marca dos seus parceiros

Se o seu produto ou serviço integra com outros produtos/serviços, você está em frente a uma mina de ouro no relacionamento com os seus leitores. Citar/usar a imagem de uma empresa parceira ajuda a aumentar a autoridade e influência da sua própria marca.

A plataforma americana de gerenciamento de campanhas deFacebook Ads, AdEspresso utiliza uma estratégia interessante nesse sentido, referenciando posts de parceiros como QuickSproute Social Media Examiner, aumentando a influência e percepção positiva dos leitores em relação ao mercado em que ela atua.

Exemplos de email marketing (6)

14. Faça as pessoas felizes

Toda pessoa gosta de um pouco de generosidade na rotina do dia-a-dia, e isso pode ser replicado no envio de emails também. AStarbucks cria um ambiente amigável em sua loja física e estende esse sentimento positivo para o ambiente virtual também. A cada 12 bebidas que você compra na Starbucks, você recebe uma gratuitamente e também um email que além de fazer as pessoas felizes emprega outras boas práticas citadas acima:

  • Referência à empresa
  • Fala aos leitores qual deverá ser o próximo passo
  • Lembra aos leitores que eles fazem parte de um clube exclusivo
  • Inclui links para acompanhamento da marca nas redes sociais

Exemplos de email marketing (8)

15. Toque em tendências sociais e eventos atuais

Aproveitar-se de eventos sazonais, datas comemorativas ou tendências para estimular o relacionamento com os leitores é uma estratégia bem utilizada por algumas empresas em seu email marketing.

Eventos como o Natal, o Ano Novo, Carnaval, Páscoa, Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Dia das Mães, Dia das crianças, mostram o quanto é importante comunicar algo para quem segue a sua empresa de acordo com datas comemorativas. Pode ser uma oferta, um desconto ou até uma ação especial, como foi feito na Resultados Digitais.

Exemplo de email marketing Natal - RD

16. Diga obrigado

Dizer muito obrigado é a maneira mais simples e fácil de humanizar os seus emails e provocar um sentimento positivo em quem os está recebendo. É importante lembrar que através de cada mensagem de email existem pessoas, e agir de forma pessoal é uma estratégia muito boa tanto para quem envia quanto para quem recebe esses emails.

Se você é grato aos seus assinantes, leitores e clientes, deixe-os cientes dessa gratidão por meio dos emails. Não precisa ser um email com um grande conteúdo, basta apenas mostrar com clareza que cada ação dele é importante para a sua empresa, como nesse email enviado pelo Trip Advisor.

Exemplos de email marketing (1)

17. Faça um anúncio

Seus consumidores/clientes esperam por atualizações de produtos/serviços em seus emails. A maioria dos anúncios feitos pelas empresas ou tem uma abordagem muito vendedora ou muito entediante.

Criar um email com valor para os clientes, exige um pouco mais de esforço no sentido de fazer com que eles se sintam atraídos por essas novas atualizações, como no caso da Apple, que oferece 3 meses gratuitos do Apple Music exclusivamente para quem possui um aparelho da marca.

Exemplos de email marketing (10)

18. Gamifique um processo

Existe um motivo para que as pessoas fiquem viciadas nos videogames. As premiações são fatores que reforçam o comportamento da procura pelo jogo, e fazem com que os usuários queiram repetir até que isso se torne um hábito.

Essas estratégias de games são usadas por profissionais de marketing, mais conhecidas como gamification, e utilizam a psicologia de fazer com que ao executar determinadas ações os usuários consigam destravar novos níveis e alcançar outras premiações, para dessa forma reforçar um hábito.

Usar esse tipo de comunicação nos emails é um recurso positivo para estimular o relacionamento mais próximo com os clientes. O site de viagens e turismo Trip Advisor utiliza bem dessa estratégia, linkando avaliações na plataforma com o ganho de pontos em programas de milhagens, como no exemplo abaixo.

Exemplos de email marketing (9)

Sempre antes do envio de qualquer email é importante pensar em qual será o objetivo da mensagem que será criada, e em como será recebido pelas personas a que se destina.

admin Nenhum Comentário

FUNIL DE VENDAS – COMO FUNCIONA?

Existe um processo muito bem definido pelo qual passam os consumidores na hora de fazer as suas compras. Para ele é dado o nome de funil de vendas – também conhecido como funil de conversão ou funil de marketing.

A grande questão é que, por mais que muitos estejam vagamente familiarizados com o termos, não entendem como ele funciona, a fim de obter os melhores resultados possíveis. Portanto, aproveitamos a postagem de hoje para explicar o seu funcionamento e uso.

O que é funil de vendas?

Em primeiro lugar, é preciso entender o conceito do funil de vendas. Ele, na verdade, funciona como uma metáfora que usa a imagem do funil (boca de entrada larga e saída bem menor) para explicar a gestão das oportunidades de vendas de uma empresa.

Os números de etapas específicas dentro desse funil podem variar em quantidade – e até mesmo o tempo para a efetivação do ciclo podem ser alteradas, mas na verdade, o fundamental para se prestar atenção é a realidade do seu negócio e como personalizar o processos e ferramentas para garantir que o gerenciamento desse funil seja eficiente para conquistar vendas e clientes.

Veremos a seguir, de forma mais detalhada, cada parte do funil de vendas para entender o seu funcionamento na prática.

Como funciona o funil de vendas?

Funil de vendas
Funil de vendas

Ele pode ser dividido, basicamente, em três momentos. São eles:

Topo de funil

A parte mais larga, em que os possíveis consumidores ainda não estão interessados em fechar negócio. Muitas vezes tem uma necessidade ou desejo e precisa pesquisar para obter maiores informações a esse respeito.

O melhor aqui é focar em produzir e divulgar conteúdos que despertem o interesse, oferecendo resposta a essas dúvidas (normalmente bem básicas), sem, com isso, fazer qualquer insinuação que pareça com uma proposta comercial. É fundamental lembrar aqui que quanto mais pessoas forem atraídas, maiores as chances e números de conversões.

Meio de funil

Ao despertar o interesse, chega o momento de focar e otimizar, buscando oferecer conteúdos que transformem esses visitantes interessados em leads e, então qualificá-los.

Já que essa empresa já foi educada sobre o assunto e tem condições de formular de forma mais exata as suas dúvidas, o papel do conteúdo está em mostrar o que você tem a oferecer e, em troca, conseguir dele informações que vão permitir o aprofundamento dessa relação, seja pelo envio de e-mails, telefonemas ou outras formas de contato personalizadas.

A partir desse momento é necessário usar ferramentas que permitam automatizar o marketing para obter informações cada vez mais detalhadas para estreitar a confiança na sua marca e permitir saber se esse lead é ou não um possível cliente.

Fundo de funil

Agora é chegada a hora de oferecer a esse possível cliente os produtos e serviços que mais se encaixem como resposta às suas necessidades e desejos. Demonstrações, canais para vendas, vale aqui criar e estabelecer ações que levem o consumidor – que já confia na marca – a investir nos seus produtos e serviços.

Como o funil de vendas é utilizado?

Com a competição feroz dos dias de hoje, é preciso pensar em estratégias que permitam a uma marca se destacar frente à concorrência. Isso significa que, ao aplicar o funil de vendas, as equipes de marketing e vendas vão se esforçar em colocar em prática ações duradouras, que permitem não apenas a venda de um produto ou serviço, mas o estabelecimento de uma relação de confiança, algo que resulta na fidelização da clientela.

Isso significa, em termos práticos, que esse investimento permite à empresa criar clientes fieis à marca, que vão espalhar e repetir as suas boas experiências diante do mercado. Isso tem um impacto certeiro nos custos, já que é muito mais barato investir na fidelização do que na constante conquista de novos (e eventuais) consumidores.

A questão que fica é: como a sua marca investe no funil de vendas para captar e manter a base de clientes? Divida suas dúvidas e opiniões nos comentários!

admin Nenhum Comentário

Como Utilizar o Snapchatp Para Seus Negócios

As redes sociais estão em constante evolução e seu sucesso vem com a geração de novas e diversificadas plataformas. Aqui analisamos o fenômeno do Snapchat, uma rede social usada pelos jovens que pode ser benéfica para a sua marca.

As redes sociais são cada vez mais variadas e inovadoras. O estrondoso sucesso de algumas plataformas como o Facebook ou o Twitter geraram um fenômeno que, até agora, nunca desacelerou. O tempo todo nascem novas redes sociais que necessitam de criatividade e originalidade para se destacarem das existentes.

As características que apresentam essas plataformas emergentes podem ser chamativas e bastante curiosas em alguns casos. No entanto, na época a ideia de nós nos comunicarmos através de 140 carácteres gerou diversas reações, e hoje o Twitter é fundamental para a promoção de uma marca e de um ecommerce.

Há momentos em que em uma estratégia de social media falta lugar para algumas redes sociais que parecem ter o necessário para espalhar uma marca. No entanto, se você abrir os olhos, em todas há sempre algo levando em conta a sua finalidade.

Este artigo analisa o Snapchat, uma plataforma com uma ideia que marca uma ruptura com os seus concorrentes: é usada para enviar imagens para outros usuários que desaparecem após 10 segundos. Hoje é uma das redes mais completas e representa uma empresa de USD 10 milhões.

Talvez não há nada novo nisso, o Snapchat tornou-se famoso rapidamente. É necessário considerar alguns dos fatos para aproveitar este aplicativo em sua empresa. Se você direciona seu conteúdo as decisões de alto nível nas corporações, o Snapchat não será muito útil. Ou seja,ele não é para todos.

O Snapchat é uma excelente escolha se sua marca tem como o objetivo alcançar o público jovem. Sem abusar da sua utilização, é uma nova plataforma que pode funcionar para as vendas e ser muito bem sucedida. Empresas como a Coca-Cola, a General Electric ou Acura, estão usando essa nova opção para adiantar os lançamentos, oferecer prêmios e descontos, todos aspectos que favorecem o posicionamento da marca. É muito eficaz para deixar o usuário com a expectativa e o deixar interessados em segui-lo.

Algo para ter em mente é que a eficácia desta plataforma está na surpresa, o avanço de algo novo, ou uma oferta na qual o usuário deve ficar atento para ser o primeiro a tirar proveito. É ideal para publicar códigos de desconto para que os seus clientes se mantenham atentos sobre a marca. No entanto, não é aconselhável abusar da sua utilização, tornar-se previsível ou invadir constantemente o usuário com spam. Você deve escolher bem para quem você vai usar essa rede social e se beneficiar das suas características.

Quais são os principais dados a se levar em conta sobre o Snapchat? A continuação, uma análise da informação proposta por Marketo em seu gráfico.

# 1 Quem usa o Snapchat?

Esta plataforma está se tornando um sucesso para as marcas que apontam para um público jovem. O Snapchat é frequentemente utilizado por pessoas entre 13 a 25 anos. Também cresceu nos últimos tempos de um tal maneira que se estima que ele tenha quase tantos usuários ativos como o Twitter, embora é considerável a diferença entre o número de pessoas registadas.

70% dos usuários do Snapchat são mulheres, o que não é pouca coisa se a sua empresa procura posicionar os produtos que o público feminino utiliza com maior frequência. Esta plataforma tem26 milhões de usuários ativos, que enviam por média 400 milhões de “snaps” por dia.

 O dispositivo preferido para usar esta rede é o iPhone com 18% do total. É uma rede social ideal para chegar através dos smatphones dos usuários. O fator instantâneo desempenha um papel essencial em seu funcionamento.

# 2 O crescimento sustentado

O Snapchat é uma rede social que continua crescendo rapidamente, razão suficiente para incluí-la em sua estratégia se você visa atingir adolescentes ou jovens com menos de 30 anos de idade. Entre Maio de 2012 e Abril 2013 ela experimentou o maior crescimento registrado, passando de reproduzir 6 milhões de snaps por dia para alcançar os 150 milhões diários. Tudo isto em menos de um ano.

Esta plataforma continua crescendo, posicionando-se entre as mais poderosas e conhecidas, tais como o Facebook e o Twitter. No entanto, não é apenas um aplicativo divertido utilizado pelos jovens para se divertir. As grandes marcas observaram seu potencial e começaram a usá-lo.

# 3 Principais casos de êxito

Ao adicionar novas plataformas e estratégias, é importante rever alguns exemplos de estudos de casos que mostram o potencial que essas inovações oferecem.

A marca de alimentos Taco Bell foi um dos primeiros a experimentar o Snapchat para gerar expectativa entre os seus seguidores. Primeiro ele convocou a partir de sua conta no Twitter e, em seguida, já no Snapchat, começou a transmitir uma imagem de um novo produto e sua data de lançamento para atrair clientes.

Outro caso exemplar, Acura, marca de carros japonesa, citou para seus seguidores no Instagram que eles ficassem atentos a sua conta do Snapchat. As primeiras cem pessoas que acessassem teriam a possibilidade de ver um vídeo curto com um novo produto.

Outro caso que nos mostra o gráfico correspondente a Wet Seal, uma marca de roupas para adolescentes que entregou sua conta para uma adolescente de 16 anos por dois dias. Através do “My Story”, que permite que todos os seus seguidores vejam o conteúdo, com isso gerou um fenômeno que envolveu 9.000 novos seguidores e 6.000 visitas à história dessa jovem.

Em 2013, a designer Rebecca Minkoff mostrou a seus seguidores sua nova coleção, pouco antes de apresentar a semana de moda em Nova York.

Esta rede social é ideal para dar aos seus seguidores o gosto do que está por vir, para gerar expectativas e envolvimento com a marca. Um presente de dez segundos para o usuário pode ser traduzido em expectativa, atenção, difusão, novos seguidores e numerosas vendas.

# 4 Para quê se usa o Snapchat e os passos para seguir

A plataforma é usada principalmente para promover cursos, oferecer cupons e códigos de desconto. É muito útil para promover o lançamento de um novo produto, ou mostrar vídeos dirigidos ou por trás das cenas.

No momento de utilizar, após a criação da conta, um passo importante é anunciar em outras mídias sociais, como o Facebook, o Twitter ou o Instagram. Após esse passo você deverecompensar seus fãs com alguma novidade, concurso ou desconto relevante para sua marca. Em seguida, publicar o conteúdo visual é essencial para manter o equilíbrio entre o cliente e a empresa. A etapa final, mas não menos importante, tem a ver com a ativação do modo “My Story”, a fim de chegar a todos os fãs simultaneamente.

Você tem que se adaptar às mudanças e as novas plataformas emergentes, já que todas elas têm suas características que podem ser exploradas. Neste caso, a vantagem é mais perceptível se a sua marca visa atingir aos jovens.

Você usa o Snapchat como parte de sua estratégia? Comente com a gente. Além disso, convidamos você a baixar aqui nosso E-Book sobre social media.

snapchat-content-marketing

admin Nenhum Comentário

DICAS DO QUE FAZER E DO QUE NÃO FAZER COM SUA FOTO DE CAPA DO FACEBOOK

Quando as pessoas acessam sua página no Facebook, qual é a primeira coisa que veem? Vou te dar algumas dicas. É uma parte visual do conteúdo que fica no topo da sua página. Suas dimensões são 851 pixels de largura por 315 pixels de altura. Ocupa quase um quarto da tela, na maioria dos navegadores de computadores.

É isso mesmo a sua foto de capa.

Como ela é uma das partes mais notadas da sua página, é fundamental que você siga as melhores práticas de uso dessa foto de capa.

Se você estiver usando o Facebook para gerar leads, fechar sua próxima venda ou criar uma comunidade de clientes, é muito importante saber como otimizá-la. Leia para saber o que você deve (ou não) fazer em sua foto de capa.

Baixe  modelo de foto de capa do Facebook pré-dimensionado aqui para você otimizar a sua 

(Você também pode obter modelos de foto de capa para Twitter, LinkedIn, YouTube e Google+ com seu download de modelo de foto de capa! [página em inglês])

Oito práticas recomendadas para fotos de capa eficazes no Facebook

1) Obedeça às diretrizes de foto de capa do Facebook.

Parece bobagem, mas obedecer às diretrizes do Facebook é crucial para a existência da sua foto de capa, para começar. Eu sugiro que você leia as diretrizes completas para a sua página, mas existem algumas informações importantes sobre o assunto:

  • Sua capa é pública.
  • Ela não pode ser enganosa, falsa, nem infringir os direitos autorais de ninguém.
  • Você não pode incentivar as pessoas a carregar sua capa nas linhas do tempo delas.

Se você for pego violando os termos acima, o Facebook pode adotar medidas contra a sua página. E, embora o Facebook não diga exatamente o que vai acontecer se você violar essas diretrizes, não será muito inteligente ver a sua página removida devido a uma infração com a foto de capa. Por isso, leia as diretrizes por completo e adote-as.

2) Confira se o tamanho da sua foto de capa do Facebook está correto: 851 pixels de largura por 315 pixels de altura.

Você não vai gastar todo esse tempo criando o design de uma foto de capa para depois ela ficar estranha quando você fizer o upload no Facebook. Verifique logo no começo se ela vai ficar incrível e se está seguindo as dimensões corretas (851 pixels de largura por 315 pixels de altura). Se você fizer o upload de uma foto menor que essa, o Facebook vai esticá-la para caber no espaço, desde que ela tenha pelo menos 399 pixels de largura e 150 pixels de altura.

Se você quiser uma maneira descomplicada de conferir se sua foto de capa está no tamanho certo, baixe aqui modelo pré-dimensionado de fotos de capa do Facebook.

3) Não respeite a regra de 20% de texto, mas tente manter-se visual.

Há alguns anos, o Facebook removeu toda e qualquer referência à regra de 20% de texto nas fotos de capa. Mas isso não quer dizer que você pode abusar do uso de texto na foto. A regra anterior dizia que apenas 20% da foto da capa podia ser texto. Pessoalmente, acho isso muito restritivo para os profissionais de marketing, mas a intenção era boa. Se você vai usar texto na sua foto de capa, seja conciso. Sua foto será muito mais informativa e engajadora.

visual_appealing_text

4) Não oculte conteúdo por trás da sua foto de perfil.

Apesar de você ter um espaço de 851 por 315 pixels para criar a foto de capa, isso não quer dizer que todo ele está disponível para sua criação. Devido à forma como as fotos de perfil são usadas na sua página do Facebook, uma parte da sua foto de capa não vai aparecer, a menos que você clique nela.

Veja no exemplo abaixo a seção destacada por uma linha pontilhada. Essa é a parte da foto de capa quenão fica imediatamente visível para seus fãs no Facebook.

cover_photo_profile_picture_example-1

Por isso, preste atenção para não esconder, sem querer, algo importante nesse espaço. Se você quiser mais informações sobre espaçamento de foto de capa, confira este documento de ajuda do Facebook.

Entretanto, você pode usar esse espaço oculto a seu favor, talvez até escondendo algo de proposito. Mas, em geral, manter esse espaço vazio é a melhor coisa a fazer.

5) Alinhe os objetos à direita na sua foto de capa.

Como sua foto de perfil está à esquerda, você precisa equilibrar o design da foto de capa do Facebook. Para isso, coloque o foco da imagem à direita. Observe estas fotos de capa. Qual delas é mais agradável, esteticamente?

Foco alinhado à direita:

right_aligned

Foco alinhado à esquerda:

left_aligned_facebook_cover_photo

A foto de capa alinhada à direita não tem aparência melhor? Os elementos maiores de design (a foto de perfil, o texto e a cerveja) estão distribuídos uniformemente. Na foto da capa da Samsung, sua atenção vai imediatamente para o lado esquerdo da página. O nome do produto fica totalmente perdido no canto superior direito.

Ainda não está convencido? O equilíbrio não é apenas um elemento crucial do design, mas também permite que as fotos de capa funcionem bem nos dispositivos móveis. Nesses dispositivos, uma parte bem maior da sua foto de capa é bloqueada, pois a foto de perfil e o nome da página ficam sobre a foto de capa. Veja a aparência dela:

adobe_fb_page

Por isso, tanto do ponto de vista do design quanto da otimização, é melhor alinhar os elementos visuais à direita.

6) Integre o design da foto de capa com outras partes da sua página do Facebook.

Se você realmente quiser ser criativo com sua foto de capa, tente integrar o design dela com outras partes da sua página do Facebook. Você pode transformar sua foto de perfil e a foto de capa em uma grande tela, ou usar alguns elementos de design para chamar atenção de funcionalidades diferentes da sua página do Facebook. Abaixo estão algumas ideias de integração da foto de capa.

Combine sua foto de perfil com a foto de capa:

Com um pouco de criatividade e alguns ajustes de design, você pode fazer a foto de perfil e a de capa parecerem duas partes de uma tela. Confira uma forma sutil, mas convincente, de fazer isso, na foto de capa da Paris.

Nota: como a exibição das fotos de capa é diferente em dispositivos móveis e computadores, você vai precisar escolher um formato para a criação da combinação de foto de perfil e de capa. As fotos de capa chamam mais atenção nos computadores, por isso sugiro que você priorize esse layout no design da combinação das suas fotos de perfil e de capa.

intergrated_cover_and_profile

Chame atenção para os botões à direita:

Seguindo as melhores práticas mencionadas acima, a Innocent Drinks coloca todo o texto importante à direita da foto de capa. Assim, não apenas consegue uma boa estética, mas também chama atenção para as principais chamadas para ação da página: Curtir, Seguir e Mensagem.

innocent_drinks-1

Use pistas direcionais para levar as pessoas a converter:

Há alguns meses, o Facebook introduziu um botão de chamada para ação para páginas (artigo em inglês), que pode ser encontrado sobre a foto de capa, à esquerda do botão Curtir no computador (nos dispositivos móveis, no menu superior, abaixo do número de curtidas). Por que não usar sua foto de capa para chamar a atenção para a chamada para ação? Abaixo, você pode ver como Guy Kawasaki faz isso na sua página; a seta chama atenção para a chamada para ação do Facebook, “Inscrever-se”. Quando você clicar em “Inscrever-se”, será levado ao guia dele sobre empreendedorismo. Se você fizer o mesmo na sua página do Facebook (alinhar a foto de capa com a chamada para ação do Facebook), poderá aumentar suas taxas de conversão.

Nota: assim como ocorre com a combinação das fotos de perfil e de capa, você terá que escolher um formato para o seu design. Para começar, sugiro otimizá-lo para computador, mas quando tiver mais dados sobre que tipos de dispositivos as pessoas estão usando para acessar sua página de chegada, você poderá otimizar o design da foto de capa.

guy_kawasaki

7) Inclua um link abreviado na descrição da sua foto de capa que esteja alinhado com a chamada para ação da sua página.

Se você vai usar sua foto de capa para apoiar a chamada para ação da sua página, não deixe de incluir uma chamada para ação em texto e um link para a mesma oferta na descrição da foto de capa. Dessa forma, sempre que as pessoas virem sua foto de capa diretamente, poderão acessar o link para download.

E para realmente otimizar seus links, abrevie-os para que você possa controlar os cliques neles. (Você pode comprovar isso na foto de capa de Guy, abaixo.) Os recursos de abreviação e rastreamento estão disponíveis em ferramentas como a bitly.

guy_inside_cover_photo

8) Fixe um post relacionado logo abaixo da sua foto de capa do Facebook.

Você já fixou um post na linha do tempo da sua página do Facebook? Basicamente, quando você faz isso, destaca um post comum do Facebook na parte superior da sua linha do tempo por sete dias.

Como isso se relaciona à otimização da sua foto de capa do Facebook? Se você estiver alinhando a chamada para ação da sua página do Facebook, o design da sua foto de capa e a descrição dela, deverá postar algo sobre o mesmo assunto diretamente na sua página e fixar esse post na parte superior da linha do tempo. Assim, você está realizando uma chamada para ação muito clara para as pessoas que chegam à sua página (embora em diferentes locais), o que pode ajudar nas conversões. Veja um exemplo abaixo:

fb_cover_photo_

 

admin Nenhum Comentário

COMO ESCREVER UM POST DE BLOG: UMA FÓRMULA SIMPLES

Provavelmente você já ouviu falar o quanto um blog é importante para o sucesso de sua estratégia de marketing. Sem ele, seu mecanismo de pesquisa fica estagnado, você não tem nada para promover nas redes sociais, perde a influência sobre clientes e clientes potenciais e fica com menos páginas para inserir as valiosas calls to action que geram inbound leads.

Por que motivo, então, praticamente todo profissional de marketing com quem converso tem uma lista de desculpas esfarrapadas para não conseguir manter um blog? Talvez porque escrever em blogs de negócios seja sacal, a menos que você seja uma das poucas pessoas que realmente goste de escrever. É preciso encontrar as palavras e criar frases com sentido, mas você nem sabe por onde começar!

Meu amigo, acabaram as desculpas. Depois de ler este post, você não vai ter absolutamente nenhum motivo para deixar de escrever no blog todos os dias e com rapidez.

Além de apresentar uma fórmula simples para escrever no blog, também darei a vocêmodelos gratuitos para a criação de cinco tipos diferentes de posts de blog (em inglês):

  • O post Como fazer
  • O post baseado em listas
  • O post de curadoria da coleção
  • O post de apresentação em SlideShare
  • O post de Newsjacking

Com esse passo a passo para escrever blogs, qualquer pessoa que domine um assunto pode criar e manter um blog. E como você é especialista no seu campo de atuação, não existem mais motivos para não escrever excelentes posts todos os dias.

Escrever um post para um blog: Uma fórmula simples

Passo 1 – Conheça seu público.

Antes de começar a escrever, você precisa conhecer bem seu público-alvo. O que ele quer saber? O que vai interessar a ele? É aí que você pode criar suas buyer personas. Ao pensar em um tema para postar no blog, considere o que você sabe sobre suas buyer personas e quais são seus interesses.

Por exemplo, se seus leitores forem da Geração Y que estão prestes a abrir as próprias empresas, provavelmente você não precisará ensinar sobre redes sociais, pois a maioria deles já domina esse assunto. No entanto, você poderá ajudá-los com informações sobre como ajustar sua abordagem nas redes sociais, passando de casual e pessoal para mais corporativa e concentrada em networking. Esse tipo de adequação é o que faz a diferença entre os assuntos genéricos para aquilo que seu público-alvo realmente quer (e precisa) em um blog.

Passo 2 – Comece com um tópico e um título.

Antes de começar a escrever, escolha um tópico para o seu post no blog. O tópico pode ser bastante genérico inicialmente. Por exemplo, se você for encanador, poderá começar escrevendo sobre torneiras que pingam. Depois, você poderá criar alguns títulos diferentes, ou seja, abordagens diferentes para esse tópico que vão ajudá-lo a dar foco ao texto.  Por exemplo, você pode restringir seu tópico a “Ferramentas para consertar torneiras que pingam” ou “Causas comuns para torneiras pingarem”. Um título de trabalho é específico e guiará o seu post para você começar a escrever.

Vamos pegar um post real como exemplo: “Como escolher um tópico consistente para seu próximo post do blog” (em inglês). Apropriado, não é? O tópico, neste caso, é simplesmente “escrever em blog”. O título pode ser: “O processo para selecionar um tema de post do blog”. E o título final: “Como escolher um tópico consistente para seu próximo post do blog”.

Percebe a evolução de tópico, título de trabalho e título final? Mesmo que o título de trabalho acabe não sendo o final (já falo mais sobre isso), ele tem informações suficientes para você concentrar o post do seu blog em um tópico mais específico e surpreendente, em vez de genérico.

Passo 3 – Escreva uma introdução (e torne-a atraente).

Primeiro, atraia a atenção do leitor. Se você perder o leitor nos primeiros parágrafos ou frases da introdução, ele não chegará até o fim do post. Existem diversas formas de fazer isso: conte uma história ou uma piada, demonstre empatia ou atraia o leitor com uma informação ou estatística interessante.

Em seguida, descreva o objetivo do post e explique como ele abordará um problema que o leitor possa ter. Assim ele terá um motivo para continuar lendo e se interessará em saber como o post poderá ajudá-lo a melhorar sua vida ou trabalho.

Passo 4 – Organize o conteúdo.

Às vezes, posts do blog podem ter uma enorme quantidade de informações, tanto para o leitor quanto para o autor. A dica é organizar as informações para os leitores não se intimidarem pelo tamanho ou quantidade de conteúdo. A organização pode ter várias formas: seções, listas, dicas, o que for mais apropriado. O importante é organizar!

Vamos dar uma olhada no post “Ferramentas indispensáveis para produção de conteúdo“.

Para concluir esta etapa, você só precisará estruturar seu post em tópicos. Assim, antes de começar, você saberá quais pontos abranger e a melhor ordem para fazer isso. Para facilitar ainda mais, você também pode baixar e usar nossos modelos gratuitos de posts de blog (em inglês), que já estão organizados em cinco dos tipos de posts mais comuns. É só preencher os campos em branco!

Passo 5 – Escreva!

O próximo passo é escrever o conteúdo de fato. Não poderíamos esquecer isso, claro.

Agora que você tem a sua estrutura em tópicos/modelo, pode começar a preencher as lacunas. Use sua estrutura de tópicos como orientação e não deixe de expandir todos os pontos, conforme o necessário. Escreva sobre o que você já conhece e, se necessário, pesquise mais para ter mais informações, exemplos e dados que confirmem seus argumentos, além de atribuir corretamente as fontes mencionadas.

Não se preocupe com o tamanho do seu post. Como meus professores diziam, “faça o texto do tamanho certo” para que ele seja útil e de qualidade.

Passo 6 – Revise seu post e corrija a formatação.

Você ainda não terminou, mas está quase lá. Revisar é uma parte importante do processo de escrever em blog e não deve ser ignorada. Peça a um colega que saiba gramáticapara revisar seu post. Em seguida, verifique a formatação, prestando atenção nos itens a seguir.

Imagem de destaque

Escolha uma imagem visualmente interessante e relevante para seu post. As redes sociais costumam dar muita importância ao conteúdo com imagem, por isso o aspecto visual é fundamental para o sucesso do seu blog. Além disso, dados mostram que emails com imagens são mais eficientes. Não deixei de incluí-las nos emails enviados aos assinantes do seu blog.

Para obter ajuda para selecionar imagens para seu post, leia “15 sites para encontrar imagens grátis” e preste atenção à seção sobre direitos autorais.

Aparência visual

Ninguém gosta de um post de blog feio. Além de fotos e imagens, a formatação e a organização do post são importantes para torná-lo visualmente interessante.

Em um blog com formatação adequada e visualmente interessante, você percebe que cabeçalhos e subtítulos com estilo consistente são usados para quebrar blocos grandes de texto.

Tópicos/tags

As tags são palavras-chave específicas que descrevem um post. Com elas, os leitores também podem procurar mais conteúdo na mesma categoria do seu blog. Evite adicionar uma lista enorme de tags em cada post. Em vez disso, desenvolva uma estratégia de inserção de tags. Pense nas tags como “tópicos” ou “categorias” e escolha de 10 a 20 tags que representem todos os principais tópicos que você queira abordar no blog. Então, restrinja-se a elas.

Passo 7 – Insira uma chamada para ação (CTA) no fim.

No final de cada post no blog, você deve ter uma CTA que indique o que você quer que o leitor faça depois: assinar seu blog, baixar um ebook, inscrever-se em um webinar ou evento, ler um artigo relacionado e assim por diante. Costuma-se pensar que a CTA é útil para o profissional de marketing. Os leitores leem o post do seu blog, clicam na CTA e você pode gerar um lead. Mas a CTA também é um recurso valioso para quem lê seu conteúdo. Use-a para oferecer mais conteúdo sobre o assunto do post que os visitantes do blog acabaram de ler.

Por exemplo, são apresentadas instruções práticas para os leitores fazerem apresentações de SlideShare nos blogs deles. No final do post, uma CTA encaminha os leitores a baixar um modelo de PowerPoint para apresentações de SlideShare.

Passo 8 – Otimize para o mecanismo de pesquisa na página.

Depois que você terminar de escrever, volte e otimize seu post para pesquisa.

Não fique obcecado sobre quantas palavras-chave incluir. Se houver oportunidades de incorporar as palavras-chave desejadas e isso não afetar a experiência do leitor, faça isso. Se você conseguir encurtar seu URL e torná-lo mais amigável para o uso de palavras-chave, faça isso também. Mas não despeje palavras-chave para conseguir uma quantidade arbitrária delas: o Google é mais esperto que isso!

Metadescrição

Metadescrições são as descrições abaixo do título da página do post nas páginas de resultados de pesquisa do Google. Elas apresentam um resumo do post antes de os leitores clicarem nele. O ideal é que tenham entre 150 e 160 caracteres e comecem com um verbo como “Aprenda”, “Leia” ou “Descubra”. Apesar de as metadescrições não serem mais um fator no algoritmo de classificação de palavras-chave do Google, elas dão ao pesquisador uma ideia do que verão ao ler o post e podem ajudá-lo a melhorar sua taxa de clickthrough a partir da pesquisa.

Título da página e cabeçalhos

A maioria dos software de blogs usa o título do post como o seu título de página, que é o elemento do mecanismo de pesquisa da página mais importante para você. Mas, se você estiver seguindo a nossa fórmula, já deve ter um título de trabalho que naturalmente inclui palavras-chave/frases que podem interessar seu público-alvo. Não complique muito seu título tentando inserir palavras-chave que não sejam naturais a ele. Entretanto, se houver oportunidades claras de adicionar as palavras-chave que você quer ao título e aos cabeçalhos do seu post, faça isso. Além disso, use títulos curtos, de preferência com até 65 caracteres, para não ficarem truncados nos resultados dos mecanismos de pesquisa.

Texto âncora

O texto âncora é a palavra ou as palavras que vinculam a outra página, no seu site ou em outro. Selecione com cautela as palavras-chave que você quer vincular a outras páginas do seu site, pois os mecanismos de pesquisa levam isso em conta ao classificar determinadas palavras-chave da sua página.

Também é importante considerar a quais páginas você quer vincular. Vincule a páginas que você quer que tenha uma boa classificação para essa palavra-chave. No fim, ela pode ser classificada na primeira página de resultados do Google, em vez de na segunda, o que não é pouca coisa.

Otimização para dispositivos móveis

Cada vez mais é fundamental ter um site projetado para dispositivos móveis. De acordo com um relatório do Google, “What Users Want Most From Mobile Sites Today” (O que os usuários mais querem de sites móveis hoje em dia), 74% dos usuários dizem que são mais propensos a retornar a um site no futuro se ele for otimizado para dispositivos móveis. Como resultado de informações desse tipo e outras estatísticas semelhantes, o Google agora está priorizando sites otimizados para dispositivos móveis.

Saiba mais sobre otimização para dispositivos móveis neste guia gratuito sobre marketing para dispositivos móveis.

Passo 9 – Escolha um título atraente.

Por fim, chegou a hora de valorizar o seu título de trabalho. Felizmente, temos uma fórmula simples para escrever títulos atraentes que vão chamar a atenção de seus leitores. Leve em consideração o seguinte:

  • Comece com seu título inicial, ou a ideia inicial.
  • Quando você for revisar seu título, tenha em mente que ele deve ser preciso e claro.
  • Trabalhe para torná-lo interessante, seja por uma linguagem forte, aliterações ou outra tática de escrita.
  • Se puder, otimize para mecanismos de pesquisa inserindo algumas palavras-chave neles (mas só se elas forem naturais!).
  • Finalmente, veja se você pode encurtá-lo. Ninguém gosta de um título longo e cansativo. Lembre-se: o Google prefere até 65 caracteres para não truncar o título em suas páginas de resultados de pesquisa.

Que outras medidas você adota para refinar suas postagens no blog?

Nota do editor: Este post foi publicado originalmente em 2013 em inglês e foi atualizado para aumentar a precisão e a abrangência.